Caraíva coroa trio de sossego no sul da Bahia

Rio Caraíva ganha cor avermelhada no pôr-do-sol

Localizados numa das regiões mais badaladas do litoral brasileiro, os vilarejos de Caraíva, Corumbau e Espelho surgem no sul da Bahia como oásis de tranquilidade e sossego. Os três ficam a poucos quilômetros da praia de Trancoso, mas a vocação é exatamente o oposto da vizinha. Enquanto Trancoso atrai pelo luxo e agitação à beira-mar, Caraíva, Corumbau e Espelho convidam ao relaxamento, à desaceleração do ritmo frenético urbano, à simplicidade. É chinelo de dedo, roupas leves e pé na areia.

O trio cabe sem estresse num roteiro de uma semana. Caraíva é a maior delas, tem mais opção de hospedagens e, portanto, serve como base para conhecer as vizinhas. Para a praia de Corumbau, o transporte mais indicado é bugue. Para ir até a praia do Espelho, carro vai tranquilamente. 

Chegar a Caraíva exige tempo. O aeroporto mais próximo é em Porto Seguro e, de lá, é preciso encarar cerca de duas horas e meia de estrada, sendo uma hora em piso de terra, até chegar ao Rio Caraíva. Nesse ponto, o carro tem que ser deixado num estacionamento (R$ 15 a diária em dez 2016) e a travessia é feita em uma canoa (R$ 5 por pessoa). São cinco minutos para cruzar o rio e, assim, que o barquinho aporta na outra margem a sensação é de ter voltado no tempo. 


Carroças dão charme às ruas de areia e casinhas coloridas em Caraíva

Em Caraíva não circulam carros. As poucas ruas são de areia e o único meio de transporte é carroça puxada por burros. A energia elétrica chegou ao vilarejo há apenas cinco anos. Quando estive em Caraíva em 2003, toda a energia era fornecida por geradores. Não havia iluminação nas ruas e todos tinham que ter uma lanterna para circular durante à noite. Hoje isso não é mais necessário. Muitos turistas reclamam da modernidade, mas os moradores não têm dúvida de que a vida melhorou muito com a chegada da luz elétrica.

Aqui vai uma primeira dica. Malas de rodinha não são uma boa opção para Caraíva. É difícil de puxá-las na areia e ainda há o risco de estragar os rodízios. Se você não tiver um mochilão, vá de rodinha mas talvez tenha que "fretar" uma das carroças para chegar até sua acomodação.  


Travessia do rio Caraíva para acessar o vilarejo

Outra coisa que precisa ser dita é que, apesar de ser um destino rústico, Caraíva não é um destino barato. Pelo contrário. Mas a diversão é garantida com praia de mar ou rio durante o dia, e forró, à noite. Aliás, o forró é a principal atração do vilarejo e dá para dançar cada noite num clube diferente. Na praia há diversas barracas e bares com estrutura das mais simples às mais confortáveis. É comum visitantes conhecerem Caraíva num bate-volta. Mas eu recomendo passar, ao menos, duas noites na vila para aproveitar esse ritmo "preguiçoso" que lhe é peculiar.


Extensa orla da praia de Caraíva

O por-do-sol pode ser na barra do rio Caraíva com direito a assistir ao espetáculo de dentro da água.


Entardecer na barra do rio Caraíva


PRAIA DE CORUMBAU

Enseada da praia de Corumbau

Tem poucas pousadas, mas eu optei por um bate-volta a partir de Caraíva. Se você não tiver um veículo 4x4, vai ter que contratar um bugueiro. O preço era R$ 200 para levar até quatro pessoas (dezembro 2016), mas dá para negociar. Foi o que fiz e o passei de dia inteiro em Corumbau. O trajeto de bugue dura cerca de 40 minutos e passa por vilarejos indígenas e praias. 

A praia de Corumbau tem o título de mais isolada do litoral baiano. É uma enseada extensa, com areia branca e mar verde de águas quentes e calmas. Na maré baixa, bancos de areia aparecem e permitem caminhadas longas. Quando você percebe, está no meio do mar numa ilhota de areia. O visual da orla da praia deste ponto é incrível. Pássaros aproveitam a maré baixa para "pescar" e um balé acontece no céu. É lindo!  




Almoçamos no restaurante Moinho das Artes, da paulista Regina, que serve uma moqueca na beira do mar de comer suando e rezando. Os preços são mais convidativos do que em Caraíva. Para resumir, Corumbau é para contemplar, relaxar numa rede, beber e comer.

Na temporada de vento, a praia de Corumbau também é point de kitesurf. Fica a dica!


PRAIA DO ESPELHO

Espreguiçadeiras na enseada da praia do Espelho

A praia do Espelho é a mais que fica mais próxima se Trancoso. É bem pequena, mas cheia de charme. Em comparação aos outros dois vilarejos é mais sofisticada, com pousadas mais confortáveis, mas sempre no estilo "low profile". No verão, ficar esticado em um pufe ou espreguiçadeira em um dos bares à beira-mar pode ter consumação de até R$ 120 por pessoa. Mas, para quem não faz questão de tanto conforto, tem opções mais em conta. 


Orla charmosa da praia do Espelho com mar azul e calmo

O acesso é por estrada de terra e qualquer veículo encara bem o percurso. Ela fica a uns 50 minutos de Caraíva. É possível fazer um trekking a partir de Caraíva até o Espelho. Leva-se, em média, três horas, caminhando pela praia e atravessando rios. Mas o passeio precisa ser feito na maré baixa e exige um pouco de preparo porque tem uma subida de uns 40 minutos de falésia.

Eu não fiz o trekking (tristeza!!!!) porque na semana em que estive em Caraíva a maré baixa era à tarde. Para esse passeio, precisa ter maré baixa pela manhã. Se não quiser ir e voltar caminhando, pode pegar um ônibus ou barco do Espelho até Caraíva. 
O Espelho é fotogênico por natureza. O mar é uma piscina azul e sem ondas. Casas ficam penduradas no penhasco que dá acesso à praia e o ritmo também é de "leseira" total. Sombras de árvores em toda a extensão da praia convidam GRATUITAMENTE a um cochilo. Passeio a cavalo também pode ser feito. Tem barraca de tapioca para um lanche leve e saudável. 


Fim da manhã no Espelho

Toda a orla ao redor da praia do Espelho é bem deserta. A 10 minutos de caminhada você encontra praias desabitadas. O espírito da minha viagem pelo "trio do sossego baiano" era relaxar, recarregar as baterias para 2017 e curtir praia e natureza sem preocupação. Deu certo! Recomendo!




Leia também...

Barra Grande: um paraíso desconhecido no litoral do Piauí

Comentários

MAIS VISITADAS