23 de novembro de 2009

A conquista da cidadela



Depois de quatro dias e três noites de caminhada pela trilha inca chegamos no dia 15/11, logo cedo, à enigmática Machu Picchu. A primeira sensação é de encantamento. A cidade é imensa, muito maior do que esperávamos. Ainda lá do alto, na porta do sol, a entrada em Machu Picchu para quem vem do caminho inca, somos tomados por um sentimento de superação (ufa, conseguimos!). É único. A foto acima é de um dos pontos mais altos da cidadela, a Casa do Guardião, com a Wayna Picchu ao fundo. Se tiver disposição e chegar cedo pode subir até o topo dessa montanha.

É bacana fazer um tour guiado por Machu Picchu para ouvir as curiosas histórias sobre a cidade. Depois é caminhar sem pressa e curtir cada vista.

Assim que cheguei à cidadela as nuvens foram mais rápidas que a minha máquina fotográfica e, em segundos toda a Machu Picchu estava encoberta. Um ahhhhh em tom de lamento foi o que se ouviu daqueles que caminharam tanto para estar lá. Todos estavam ansiosos pela maior recompensa da viagem (a primeira visão de Machu Picchu). Depois veio um silêncio.

Acho que todo mundo estava rezando para a neblina sair logo. Deu certo. As nuvens pareciam brincar com a gente num vaivém, mas foram mais ou menos uns cinco minutos para que MP se desvendasse para todos. Tivemos sorte, porque a chuva fina que nos acompanhou pela manhã parou e abriu um sol maravilhoso. De novembro a março é época de chuva na região. Capa de chuva é item indispensável.

Outro atrativo da cidadela são as lhamas, atuais moradores de Machu Picchu. Elas estão tão acostumadas com os turistas que até posam para as câmeras. As pessoas andam pelo meio delas e elas "nem aí".



PASSAPORTE CARIMBADO



Se você quiser (é opcional e gratuito), pode registrar sua passagem por Machu Picchu no passaporte. O carimbo está na entrada da cidade à disposição de todos. Para quem faz a trilha inca, também há um carimbo no primeiro posto de controle.



LEIA TAMBÉM:

Nenhum comentário:

Postar um comentário